História do café


História do café



Atualmente, o café é a bebida mais consumida no mundo depois da água. Mas, até atingir esse patamar, houve um grande processo de propagação da bebida, cuja origem se deu na África.

HISTÓRIA DO CAFÉ - A LENDA DE KALDI

A origem mais conhecida e difundida sobre a origem do café é a do pastor Kaldi. Segundo a lenda, Kaldi era um pastor de cabras que viveu na Abissínia, atual Etiópia e, certo dia, observou o efeito excitante que as folhas e frutos amarelo-avermelhados de determinado arbusto produziam em seu rebanho. O pastor percebeu que os animais que mastigavam a planta apresentavam maior disposição, agilidade e resistência para as longas caminhadas. Kaldi comentou sua descoberta com o monge da região, que decidiu experimentar o poder desses frutos. Ele começou a beber uma infusão feita com os frutos e percebeu que a bebida realmente o ajudava a resistir ao sono. A descoberta logo se espalhou pelos mosteiros, tornando a bebida popular entre os monges.

Clique aqui e assista à uma antiga propaganda do Meridiano, contando
essa história em 30 segundos.

As primeiras evidências do cultivo do café foram encontradas nos mosteiros islâmicos do Iêmen, manuscritos do ano 575. Ao contrário do que sugere, a palavra café não vem de Kaffa, província em que foi cultivado, mas do árabe cahue, que significa “força”.

Essa “força” motivou guerras no oriente. No ocidente, perseguições e censura. Houve época em que foi considerada bebida demoníaca e, o seu consumo, proibido pela igreja. Mas o Papa Aurélio, apreciador de um bom café, o absolveu de qualquer culpa e liberou o consumo para fiéis católicos.

Ao longo dos séculos o café conquistou o mundo, passando por todos os países árabes, pela Europa, chegando à América pelo Caribe e até o Brasil pelas mãos de Francisco de Mello Palheta.

CAFÉ DO BRASIL

Apesar de o Brasil ser o maior produtor mundial de café, seu cultivo demorou a chegar aqui porque os grãos de café tinham um grande valor e eram comercializados apenas para o preparo da bebida.

O governador do Pará, em 1727, incumbiu o sargento-mor Francisco de Mello Palheta de trazer algumas sementes do precioso arbusto. Palheta cumpriu à risca sua missão e contrabandeou nossas primeiras sementes, contando com a cumplicidade da esposa do governador da Guiana Francesa.

Em pouco tempo o café tornou-se o mais importante produto brasileiro e grandes plantações de café ocuparam os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. O cultivo dos cafezais capixabas iniciou-se sob influência do Rio de Janeiro, na metade do século XIX.

O café esteve presente em todos os momentos históricos do Brasil. Logo após a independência, foi o fator de desenvolvimento e modernização do país, pois, para escoar sua produção, foram construídas estradas de ferro, abertos novos portos, o número de bancos foi ampliado, o comércio tornou-se mais ágil e muitos imigrantes europeus começaram a trabalhar aqui. Sua influência não foi só econômica, mas também social e política.
SIM – Acesso restrito | Webmail | 2010 - MERIDIANO - Todos os direitos reservados |